A precaridade da saúde pública no Brasil em relação ao EUA

A precaridade da saúde pública no Brasil em relação ao EUA

A saúde é um bem que difere substancialmente de outros serviços essenciais. Na maioria das situações, há uma baixa probabilidade de que um indivíduo tenha uma doença grave ou crônica durante o curso de sua vida. Mas, caso isso aconteça, é altamente improvável que esteja em condições de financiar um tratamento com recursos próprios ou de familiares.

O custo da medicina contemporânea (diagnósticos, tratamentos, cirurgia e hospitalização) ainda não faz parte da realidade para o bolso da maioria dos indivíduos. Na década de 90, países de renda média como o Brasil, cerca de 20% a 30% das famílias tinham que recorrer a empréstimos ou vender alguns de seus bens materiais para pagar despesas médicas. A decisão de uma família de endividar-se por tratamento de saúde produz um padrão catastrófico nos gastos da família.

Consequências da corrupção na saúde pública

A corrupção no país influenciou na precarização da saúde do Brasil. Durante a gestão petista, foi tomado pelo PT cerca de R$ 111,4 bilhões da CPMF que eram da saúde, bem como um corte de R$ 131 bilhões. se somar o dinheiro da CPMF que não foi para a saúde, que foi desviado para outras áreas, com os cortes feitos no orçamento, o PT deixou de gastar na saúde cerca de R$ 242,4 bilhões.

Essa é uma das causas que contribuíram para a situação decadente em que se encontra este setor. Ademais, devido o descaso do governo de ex-presidente Dilma Rousseff para com a saúde pública, explicaria o fato de buscar ajuda dos médicos cubanos.

Como funciona o sistema de saúde pública no Brasil e nos Estados Unidos

Ao comparar o sistema de saúde do Brasil com os Estados Unidos, é possível observar que o sistema americano conta com tecnologias avançadas e unidades modernas atuantes numa perspectiva capitalista, porém, o brasileiro trabalha em uma perspectiva social, típica de governos socialistas, buscando uma fortificação do SUS e consequentemente uma cobertura universal para todos os habitantes, independente da idade, problema médico ou posição social.

O Sistema público de saúde americana é divido sistemas específicos, como o Medicare (Sistema de saúde para maiores de 65 anos), Medicaid (Sistema de saúde para pessoas de baixa renda), Sistema de saúde para militares veteranos e o Programa Estadual de Seguro de Saúde Infantil, que estabelece uma cobertura para as crianças cujos pais não se qualificam para o Medicaid.

O Sistema público de saúde brasileiro se constitui em um sistema Universal, o Sistema Único de Saúde (SUS). Este é sistema nacional de saúde pública brasileiro que é caracterizado por alguns princípios que visam fornecer assistência integral (incluindo intervenções preventivas e terapêuticas) para todos os cidadãos, independente da idade ou posição social. Os princípios mais relevantes são acesso universal, equidade, descentralização, governança democrática e atenção integral.