O Comunismo na China atual

O Comunismo na China atual

O partido comunista da China foi criado em 1921. Após uma revolução liderada por Mao Zedong o partido comunista obteve o controle em 1947. Desde então, o governo chinês seguiu o exemplo do modelo soviético de desenvolvimento, investindo na indústria pesada que era mantida pelo árduo trabalho dos camponeses.

A partir desse estágio, a China passou por delicadas fases, onde houve épocas em que a pobreza predominou exorbitantemente. O poder passou por vários líderes que tinham em comum o viés ideológico o que consequentemente levou ao governo consolidar o comunismo na China.

O comunismo na China possui características próprias

O partido comunista da China descreve seu modelo econômico como “socialismo com características chinesas”, onde na prática, o governo é proprietário das maiores empresas do país, sendo esta, uma das estratégias clássicas do comunismo. Porém, o governo Chinês não é integralmente socialista, pois o líder supremo da República Popular da China Deng Xiaoping introduziu várias reformas econômicas entre 1978 a 1992, logo após a morte do grande líder revolucionário Mao Zedong, 

De acordo com a professora e CEO Ann Lee, Xiaoping foi influenciado pelo socialismo francês e pelo “poder e riqueza” da América. Lee argumenta que, em vez de socialista, a China é mais capitalista do que alguns países ocidentais, pois o próprio EUA gasta mais com governos federais do que a China.

Entretanto, o socialismo chinês costuma mostrar a sua face pelo simples fato do governo ser dono de todas as terras. Basicamente, qualquer cidadão pode adquirir alguma terra, porém, ele não poderá ficar com ela permanentemente, pois após algumas décadas, haverá um determinado momento em que se terá que pagar uma nova taxa por essa mesma terra.

Como é a economia na China?

A China possui um mercado aberto, possibilitando a realização de negócios com o mercado internacional, algo que é uma característica do capitalismo. Apesar disso, o governo chinês adotou o socialismo como base para a sua população, claramente, sem levar em consideração o direito de escolha de qual sistema de governo a sua população prefere.

O comunismo na China, quando observado de forma superficial aparenta ser algo que até o presente momento tem apresentado êxito e é o sistema que melhor favorece o país economicamente, mas ao se aprofundar sobre o seu funcionamento no país, é possível notar que este mesmo sistema beneficia somente uma pequena parcela da sua população, ou seja, a elite chinesa.

Restrição das mídias digitais pelo governo comunista

O governo chinês tem a fama de ser protecionista, pois os produtos internos são extremamente valorizados, o que justifica a liberação da entrada de somente 34 filmes estrangeiros em um ano, onde os produtores de HollyWood precisam passar por um crivo de censura chinesa para que determinados filmes possam ser comercializados dentro do país.

A censura na China já faz parte do cotidiano dos cidadãos, pois praticamente em tudo, a censura está presente. A internet por exemplo, é extremamente limitada, tornando-se na verdade uma intranet. Aplicativos bastante difundidos na internet, plataformas de streaming (Youtube, Netflix), redes sociais (Facebook, Twitter, Instagram, Whatsapp), todos os canais digitais que possuem o poder de trazer uma gama de conhecimento a seus usuários são estritamente proibidos na China.

Tentativa de expressar sua opinião

Resultado da implantação do comunismo na China

A China percorreu um longo caminho para conquistar uma economia de raízes capitalistas, abrindo as portas para investimento financeiro internacional. Todavia, o governo chinês mantém seu povo sob um regime autoritário, onde a liberdade de expressão, criatividade, livre iniciativa, filantropismo, dentre outras características de países democráticos são escassos na vida dos cidadãos comuns.